Cadê a relação?

11/03/2010

O tempo passa. O pensamento eurocêntrico, que considerou a noção de progresso histórico, revelou como a humanidade evoluiria de estágios menos aperfeiçoados para uma posição sócio-cultural melhor. Durante esses anos, as relações humanas modificaram a convivência entre os seres racionais. Agora, homens e mulheres se relacionam pelo meio virtual em detrimento do contato físico.

A capacidade de convívio entre os hominídeos surgiu na África há mais de quatro milhões de anos. O primeiro gênero a ter feições humanas, andar bípede e postura ereta, foi o Australopithecus. A partir disso, o homem começou a traçar seu destino e evolui para o Homo Sapines. Milhões de anos decorridos desde a vinda do primeiro primata à Terra os seus descendentes  passaram por estórias de impérios, revoluções e guerras mundiais. Hoje, as pessoas parecem que regrediram em relação ao contato interpessoal.

Com o avanço tecnológico dos meios de comunicação foi possível desenvolver o sistema de envio e recebimento de dados em tempo real: a Internet. Essa ferramenta ajudou e continua a contribuir para o desenvolvimento econômico mundial, mas as relações humanas estão mais virtuais do que pessoais. Tudo é feito pela navegação da Word Wide Web (WWW) que vai de pesquisas e compras até namoros e sexo. Atrás das teclas de computadores nós, internautas assíduos, nos escondemos e digitamos quem queremos ser, construindo psuedo-imagens pessoais convertidas em códigos binários sequenciados com a própria rejeição. Por que fazemos isso?

A sociedade estabelece padrões de beleza e comportamentos e até a própria mídia também influencia os caminhos da moda. Se não nos encaixamos nesse perfil de artistas “globais”, que aparentam ter a felicidade eterna, viveremos infelizes querendo copiar os gostos e costumes desses semi-deuses.

O fato é que ninguém quer permanecer na solidão. Este estado de individualização é suprido por horas e horas em salas de batepapo e em sites de relacionamento. De um lado alguém diz gostar disso e daquilo, e do outro pessoas que concordam e acreditam fielmente no enunciado duvidoso. Nunca foi tão fácil conhecer pessoas de qualquer parte do mundo com a Internet, mas também sempre é complicado confiar no que nosso estado de isolamento sentimental procura aceitar.

A solidão provoca incompreensão!

Texto: Rogério Balbino
Foto: Leodomiro Neto

Anúncios

Animal-vegetal

08/03/2010

Minhas células estão fervendo, invertendo
o processo funcional
e sem as plaquetas eu sou um amargo vegetal,
que pensa e acrescenta
uma fórmula estrutural
se o súber arrebenta,
já não sou normal.

Texto: Rogério Balbino


Folguedo

17/02/2010

Nas cinzas da quarta-feira
o carnaval acabou,
você se apaixonou
nesses dias na ladeira.

Agora só restam saudades
das cores, das beldades
e do beijo lá na esquina
em você, minha menina.

O brilho da fantasia
esconde o desejo
no momento do festejo
mascarado na folia.

Passista, confete, serpentina
e Pierrot sem Colombina.

Texto: Rogério Balbino


SSS (Super Sensacionalismo Social)

22/01/2010

O som anuncia:
que comece o espetáculo.
O show sem compasso
por alí surgia.

O relato dos incofinados
percorre a trama global
vendidos pela imoral
são 16 estamos chocados.

Acompanhe-me se puder,
acredite se quiser.
Estamos no paredão
querendo mais de R$ 1 milhão.

As cortinas se fecham,
os rostos são esquecidos.
O IBOPE agredece, e alías
ano que vem tem mais.

Texto: Rogério Balbino


Coffe-break

21/01/2010

Sabores de vida
mussarela de intriga
Talheres rodopiam,
fatos na chapa chiam.

No tilintar de vozes
deixam escapar algozes
que cheiram a mate
com gosto frio que arde (já é tarde).

Texto: Rogério Balbino


“O povo unido jamais será vencido”!

28/10/2009

Alguns estudantes da Faculdade Maurício de Nassau realizaram protesto, no dia 10 de setembro de 2009, contra a apreensão feita pela Diretoria de Controle Urbano (DIRCON) dos equipamentos e mercadorias dos ambulantes que comercializam alimentos em frente à instituição de ensino.

A DIRCON veio escoltada pela Polícia Militar para realizar a retirada dos comerciantes informais por volta das 20hs. Os estudantes impediram a saída do caminhão da Diretoria de Controle Urbano que transportava os equipamentos e mercadorias.

Com o tumulto, a PM reforçou a área e solicitou a presença do batalhão de choque para dispersar a multidão que se aglomerava na Rua Guilherme Pinto, bairro das Graças.

Texto: Rogério Balbino
Veja vídeos:



A fila não anda

08/09/2009
A agência do Banco do Brasil no bairro de Afogados, no Recife-PE, faz teste de resistência física com seus clientes

A agência do Banco do Brasil no bairro de Afogados, no Recife-PE, faz teste de resistência física com seus clientes

Só em ouvir falar de fila, o cidadão pernambucano já fica inconformado. Mas se a fila for de banco, haja paciência. Segundo o decreto nº 19.204/2002, os estabelecimentos bancários devem atender os seus clientes em no máximo 15 minutos, contados a partir do ingresso na fila de atendimento.

Esperar 15 minutos tudo bem, mas ficar aguardando o nosso tempo preciso em pé já é humilhação. Esses banqueiros só pensam nos lucros e deixam os clientes em situação de grande desconforto e frustração. A falta de fiscalização dos Procons contribui para os abusos das filas dos bancos.

Muitos estudiosos defendem a privatização das instituições públicas. Agora sim entendo toda essa teoria, pois só assim os funcionários da Caixa Econômica Federal e do Banco do Braisl iriam trabalhar e produzir cada vez mais, gerando o “lucro” e a satisfação aos clientes dessas agências bancárias.

A maioria das pessoas concursadas desses estabelecimentos bancários teme essa situação porque ou eles vão ser demitidos ou vão “trabalhar de verdade”.

Confira o que diz a lei:

Os estabelecimentos bancários devem atender os seus clientes no prazo máximo de quinze minutos, contados a partir do respectivo ingresso na fila de atendimento;

Excepcionalmente, em vésperas e após feriados prolongados, inclusive finais de semana, o prazo máximo de atendimento ao cliente será de trinta minutos;

Para a comprovação do tempo de espera, os estabelecimentos bancários devem fornecer aos seus clientes um bilhete relativo à senha de atendimento, no qual constará a identificação do estabelecimento, o número de ordem da senha, a data e horário do ingresso do cliente na fila e registro do horário do início do atendimento;

O caixa registrará o início do atendimento no bilhete por meio de uma autenticação mecânica ou chancela de máquina de protocolo com o horário correspondente;

O Procon Recife tem competência de ofício para promover a fiscalização do cumprimento da lei, bem como aplicar multas e advertências;

Os estabelecimentos bancários dispõem do prazo de trinta dias para implantar os procedimentos necessários para o cumprimento do decreto nº 19.204/2002.


Texto e foto: Rogério Balbino
Fonte: Ministério Público de Pernambuco