A fila não anda

08/09/2009
A agência do Banco do Brasil no bairro de Afogados, no Recife-PE, faz teste de resistência física com seus clientes

A agência do Banco do Brasil no bairro de Afogados, no Recife-PE, faz teste de resistência física com seus clientes

Só em ouvir falar de fila, o cidadão pernambucano já fica inconformado. Mas se a fila for de banco, haja paciência. Segundo o decreto nº 19.204/2002, os estabelecimentos bancários devem atender os seus clientes em no máximo 15 minutos, contados a partir do ingresso na fila de atendimento.

Esperar 15 minutos tudo bem, mas ficar aguardando o nosso tempo preciso em pé já é humilhação. Esses banqueiros só pensam nos lucros e deixam os clientes em situação de grande desconforto e frustração. A falta de fiscalização dos Procons contribui para os abusos das filas dos bancos.

Muitos estudiosos defendem a privatização das instituições públicas. Agora sim entendo toda essa teoria, pois só assim os funcionários da Caixa Econômica Federal e do Banco do Braisl iriam trabalhar e produzir cada vez mais, gerando o “lucro” e a satisfação aos clientes dessas agências bancárias.

A maioria das pessoas concursadas desses estabelecimentos bancários teme essa situação porque ou eles vão ser demitidos ou vão “trabalhar de verdade”.

Confira o que diz a lei:

Os estabelecimentos bancários devem atender os seus clientes no prazo máximo de quinze minutos, contados a partir do respectivo ingresso na fila de atendimento;

Excepcionalmente, em vésperas e após feriados prolongados, inclusive finais de semana, o prazo máximo de atendimento ao cliente será de trinta minutos;

Para a comprovação do tempo de espera, os estabelecimentos bancários devem fornecer aos seus clientes um bilhete relativo à senha de atendimento, no qual constará a identificação do estabelecimento, o número de ordem da senha, a data e horário do ingresso do cliente na fila e registro do horário do início do atendimento;

O caixa registrará o início do atendimento no bilhete por meio de uma autenticação mecânica ou chancela de máquina de protocolo com o horário correspondente;

O Procon Recife tem competência de ofício para promover a fiscalização do cumprimento da lei, bem como aplicar multas e advertências;

Os estabelecimentos bancários dispõem do prazo de trinta dias para implantar os procedimentos necessários para o cumprimento do decreto nº 19.204/2002.


Texto e foto: Rogério Balbino
Fonte: Ministério Público de Pernambuco

Anúncios